Réveillon da covid é marcado por festas e aglomerações. Veja vídeos

No país com o segundo maior número de mortes por covid-19, com cerca de 195 mil vítimas fatais, o réveillon pode não ter tido os tradicionais fogos de Copacabana, um dos símbolos da virada do ano no Brasil, mas contou com festas e aglomerações em várias regiões e redutos turísticos. São Miguel do Gostoso (RN), Trancoso (BA), Florianópolis, Rio e Brasília foram algumas das cidades onde participantes de grandes festas ignoraram a pandemia. Deixaram a máscara de lado e se arriscaram a engrossar as estatísticas da doença no país.

Nos últimos sete dias, o Brasil teve média de mais de 700 mortes por dia em razão do novo coronavírus. Dois perfis - um no Instagram (https://www.instagram.com/brasilfedecovid/) e outro no Twitter (https://twitter.com/BCovidfest) divulgam vídeos de baladas que desafiam o bom senso. Veja algumas dessas festas na virada do ano:

Praia do Caixa D'Aço, Paraíba

Ilha do Itanhangá, Rio de Janeiro

Praia de Geribá, Búzios, Rio de Janeiro

Casa de la Musique, Brasília

Balneário Camboriú, Santa Catarina

Vivo Rio, Rio de Janeiro

Trancoso, Bahia

São Miguel do Gostoso, Rio Grande do Norte

São Miguel do Gostoso, Rio Grande do Norte

Barra de São Miguel, Alagoas

Café de la musique, Jurerê Internacional, Florianópolis

Pipa, Natal, Rio Grande do Norte

Em nota, a assessoria de imprensa do Café de La Musique Brasília afirmou que uma equipe do DF Legal notificou a casa na noite de Réveillon.

“Todas as medidas jurídicas para esclarecer os fatos já estão sendo tomadas. O Café de La Musique Brasília reforça que se mantém constantemente preocupado com a segurança e a saúde de todos os clientes adotando medidas de higienização e conscientização, e segue à disposição para quaisquer novos esclarecimentos”, declarou a assessoria do estabelecimento.

Pesquise o número de casos e mortes por covid-19 em cada município e estado

Continuar lendo

Assine e obtenha atualizações em tempo real em seu dispositivo!