Anvisa recebe pedido de uso emergencial da vacina Sinopharm

A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) recebeu nesta manhã pedido de uso emergencial da vacina Sinopharm. O imunizante já foi aprovado pela Organização Mundial da Saúde (OMS), porém, ainda não foi testado no Brasil, apenas em países como Argentina, Peru, Emirados Árabes, Egito e China.

A análise do pedido deve durar de 7 a 30 dias, a depender da documentação técnica apresentada pela empresa Blau Farmacêutica, que representa a vacina do laboratório chinês no Brasil.

A vacina da Sinopharm é produzida a partir de um vírus inativado. O imunizante é aplicado em duas doses, com um intervalo de três a quatro semanas entre elas. O produto é recomendado para pessoas acima de 18 anos de idade, de acordo com os dados conhecidos até o momento. A Anvisa já aprovou o uso de seis vacinas contra a covid: Coronavac, Astrazeneca, Pfizer, Covaxin, Sputinik e Janssen.

> Bolsonaro deve sancionar mudanças na Lei dos Planos de Saúde

Se você chegou até aqui, uma pergunta: qual o único veículo brasileiro voltado exclusivamente para cobertura do Parlamento? Isso mesmo, é o Congresso em Foco. Estamos há 17 anos em Brasília de olho no centro do poder. Nosso jornalismo é único, comprometido e independente. Porque o Congresso em Foco é sempre o primeiro a saber. Precisamos muito do seu apoio para continuarmos firmes nessa missão, entregando a você e a todos um jornalismo de qualidade, comprometido com a sociedade e gratuito.
Mantenha o Congresso em Foco na frente.
JUNTE-SE A NÓS

Continuar lendo