Aplicativo para celular radicaliza participação da juventude no governo federal

Gabriel Medina*

Por mais que velhas forças insistam no pessimismo e na falta de diálogo, o potencial participativo e transformador da juventude tem se comprovado cada vez mais forte na construção de políticas públicas. Nos últimos nove meses, diversos processos apontaram neste sentido: a participação marcante de movimentos sociais juvenis nas discussões sobre o Plano Plurianual (PPA), que define metas, iniciativas e objetivos do governo federal para os próximos quatro anos; o protagonismo de jovens na incidência na plataforma Dialoga Brasil, estratégia central de participação da Secretaria-Geral da Presidência da República; e, por fim, uma grande inovação na Conferência Nacional de Juventude, que, em sua terceira edição, aposta em um aplicativo para celular, tablet e computador como um dos métodos de eleição de delegados e propostas para a etapa nacional do processo, que acontece em dezembro, em Brasília (DF).

A 3ª Conferência Nacional de Juventude, lançada no início do ano em evento no Palácio do Planalto, tem como tema: “As várias formas de mudar o Brasil”. O mote coloca como fundamental o reconhecimento de novas formas de expressão da juventude para o enriquecimento do debate político. Foi a partir deste diagnóstico, de que é preciso inserir cada vez mais atores e diversidades nas conferências, que a Secretaria Nacional de Juventude (SNJ) e o Conselho Nacional de Juventude (Conjuve) decidiram entender definitivamente a internet e suas redes como espaços de disputa e incidência política. Sim, o jovem acredita que pode influenciar o destino de seus territórios se manifestando nas redes sociais – e a conexão cada vez mais nítida entre os processos políticos nas redes e ruas só ratifica esse sentimento.

Para o grande desafio de desenvolver um aplicativo que pudesse canalizar as manifestações políticas de jovens nas redes para o processo da 3ª Conferência Nacional de Juventude, a equipe da SNJ suou muito. Estreitamos relações com agentes políticos e discussões importantes sobre tecnologia e comunicação e concentramos esforços para que, com poucos toques na tela de um aparelho celular, tablet ou computador, qualquer jovem pudesse influenciar na elaboração de políticas públicas e contribuir para a construção do Plano Nacional de Juventude, que vai definir as políticas de juventude para os próximos 10 anos. Entendemos a importância de construir essa plataforma em tecnologia software livre e, mais que isso, compreendemos a importância de ter um desenvolvimento aberto e colaborativo. O processo, portanto, não poderia ter sido mais rico.

Dos dois mil delegados que virão à Brasília em dezembro deste ano para participar de quatro dias de discussões, 600 serão eleitos pelo aplicativo #3ConfJuv. Os critérios de eleição baseiam-se na criação de propostas de políticas a serem implementadas pelo poder público e no engajamento em torno delas. Não basta criar uma proposta que seja muito apoiada e comentada, é preciso debater, seguir e ratificar propostas de outros participantes para ganhar pontos. O aplicativo é gamificado, uma lógica que traz conceitos de jogos digitais para a plataforma como forma de dar mais leveza e sentido ao processo. Além do custeio da ida de 600 delegados para a etapa nacional em Brasília, 305 propostas vindas do aplicativo serão votadas na etapa nacional da 3ª Conferência Nacional de Juventude. A disputa já está dada: em pouco tempo, e ainda com uma versão experimental, o aplicativo já reúne quase 4 mil participantes e 1110 propostas de políticas públicas.

Com o desenrolar das etapas presenciais – em que cerca de mil municípios participarão das atividades – e a iminência da realização das etapas estaduais, jovens vão buscar a plataforma como alternativa para se elegerem para a etapa nacional, em Brasília. Para acompanhar as informações sobre a 3ª Conferência Nacional de Juventude, uma cobertura colaborativa que conecta coletivos de comunicação e midialivristas jovens de todo país está sendo reunida no site juventude.gov.br/conferencia e nas redes sociais. O aplicativo também está disponível no site e para download para celular e tablet na Play Store. O primeiro desafio está cumprido: a 3ª Conferência Nacional de Juventude agora cabe no bolso. O segundo é ainda maior: que a #3ConfJuv caiba nos sonhos e anseios da juventude brasileira. Para isso, ousadia não faltará: contra o retrocesso, o ódio e o pessimismo, vamos sonhar e lutar juntos para mudar o Brasil e por mais direitos.

*secretário nacional de Juventude da Secretaria-Geral da Presidência da República

Mais sobre redes sociais

Continuar lendo

Assine e obtenha atualizações em tempo real em seu dispositivo!