Randolfe Rodrigues questiona ofertas e aponta indício de propina

O senador Randolfe Rodrigues (Rede-AP) confrontou o reverendo Amilton Gomes de Paula sobre o valor da oferta da vacina oferecida ao governo, na tarde desta terça-feira (3) na CPI da Covid. Ele apontou a diferença de um dólar entre o valores das propostas da Davati e a da Senah ao governo para a venda das vacinas Astrazeneca.

"Aqui está carta da Davati , do dia 15 de março, que fala na proposta em 10 dólares, e aqui a sua carta, enviada quase paralelamente que fala em 11 dólares. De uma carta para outra tem a diferença de 1 dólar", fala Randolfe. " Nos chama atenção porque o que o Dominguetti denunciou à essa CPI é exatamente a diferença de 1 dólar que seria destinada em propina."

O reverendo Amilton Gomes de Paula  também foi desmentido pelos senadores Randolfe Rodrigues e Eliziane Gama (Cidadania-MA), sobre as declaradas parcerias de entidades como a Confederação Nacional dos Bispos (CNBB), Conselho Nacional de Justiça (CNJ) e Organização das Nações Unidas (ONU) com a Secretaria Nacional de Assuntos Humanitários (Senah), presidida por ele.  Em carta, a CNBB negou reconhecer parceria com a Senah;  em ofício, o CNJ também negou vínculo com a secretaria e , de acordo com o senador Randolfe Rodrigues, na plataforma da ONU não consta  nenhum credenciamento da instituição.

 

Continuar lendo