PSD se aproxima de apoio a Rodrigo Pacheco em meio a negociações em Minas

Lideranças do PSD discutiram nesta terça-feira (5) o possível apoio da legenda à candidatura de Rodrigo Pacheco (DEM-MG) à presidência do Senado. As articulações para a aliança passam pela política de Minas Gerais. O assunto foi debatido hoje na casa do prefeito de Belo Horizonte, Alexandre Kalil (PSD), com as presenças de Pacheco, dos senadores Antonio Anastasia (MG), Carlos Viana (MG) e Otto Alencar (BA) e do presidente do partido, Gilberto Kassab. De acordo com Otto, que é líder do PSD no Senado, a reunião para angariar apoio ao senador do DEM foi “muito produtiva”.

Ele afirmou que o apoio à candidatura de Rodrigo Pacheco passa por Anastasia, Carlos Viana e Kalil. Segundo o senador, a bancada do partido deve se reunir hoje às 20h para decidir se oficializa a parceria. “Ele [Rodrigo Pacheco] reúne todas as condições para ter um Senado que possa contribuir para o Brasil”, enfatizou Otto.

Carlos Viana disse que o encontro contribuiu para “um grande passo pela união da bancada de Minas Gerais". O senador ressaltou que foram “superadas as divergências políticas” para que a bancada mineira possa atrair investimentos e o apoio necessário junto ao governo federal e ao Congresso.

Conforme informações de bastidor, as negociações passam pela promessa de Pacheco de que não disputará o governo de Minas Gerais em 2022, podendo apoiar uma eventual candidatura de Kalil. Abertamente nenhum dos participantes da reunião confirma o acordo. Kalil e Pacheco se enfrentaram em 2016 na eleição para prefeito de Belo Horizonte, da qual o ex-presidente do Atlético Mineiro saiu vitorioso. O PSD é a segunda maior bancada do Senado, com 11 parlamentares.

Continuar lendo

Assine e obtenha atualizações em tempo real em seu dispositivo!