Com trabalhos semipresenciais, Congresso já tem ao menos 35 casos de covid

O Congresso Federal já registrou ao menos 35 casos de covid-19 entre servidores e trabalhadores desde o início dos trabalhos semipresenciais este mês. São 27 identificados na Câmara dos Deputados e 8 no Senado.

No dia 1º, mesmo com a pandemia de covid-19, as duas Casas realizaram sessões presenciais para a eleição de seus novos comandos. Nos dias seguintes, ainda foram feitas sessões para escolha dos demais cargos da Mesa, também presenciais.

Tanto na modalidade presencial quanto semipresencial, é possível ver parlamentares sem máscara ou usando-a de forma incorreta e sem respeitar o devido distanciamento social.

O Senado confirmou que quatro dos colaboradores contaminados trabalharam na semana do esforço concentrado do início do mês, quando ocorreram as eleições da Mesa. Dois são servidores terceirizados e os outros dois são comissionados.

De acordo com a Casa, os outros quatro casos são de pessoas que estavam em regime de teletrabalho quando foram contaminados.

Na Câmara, entre os dias um e nove deste mês, foram registrados vinte e sete casos de servidores contaminados com o novo coronavírus. A assessoria da Câmara, porém, não respondeu em quais setores da Casa os colaboradores atuam. O deputado Bibo Nunes (PSL-RS) confirmou ao Congresso em Foco que três servidores de seu gabinete foram diagnosticados com covid-19 nos últimos dias. 

Segundo fontes ouvidas pelo Congresso em Foco, o número de casos na Câmara pode ser maior.

O fotógrafo da Liderança do PSB na Câmara, Chico Ferreira,  foi diagnosticado com o vírus na última sexta-feira (5) e está internado na Unidade de Terapia Intensiva do hospital Santa Lúcia em Brasília. Ele trabalhou presencialmente na Casa nos dias dois e três deste mês.

A assessoria de imprensa da liderança disse não ser possível afirmar se ele foi contaminado no Congresso, mas que o fato “serve de alerta para que a Casa adote todas as providências necessárias para reforçar a segurança de servidores e deputados que necessitem trabalhar no ambiente, com maior controle sobre quantidade e uso de EPI’s no local”.

Eleitos em 1ºde fevereiro, os presidentes da Câmara, Arthur Lira (PP-AL), e do Senado, Rodrigo Pacheco (DEM-MG), anunciaram o início dos trabalhos semipresencial. Os parlamentares que são do grupo de risco, por exemplo, vão poder continuar trabalhando de forma remota.

Nesta quinta, a Câmara também aprovou a retomada das comissões o que, mesmo no regime semipresencial, aumentará a movimentação nas instalações da Casa.

Após vencer as eleições na Câmara, o deputado Arthur Lira ofereceu uma festa para os seus correligionários. O presidente eleito não usava máscara para prevenir o contágio de covid-19, assim como a maioria dos seus convidados. Em vídeos e fotos da celebração, os convidados da festa aglomeraram e, em diversos momentos, trocaram abraços e apertos de mão. 

Continuar lendo

Assine e obtenha atualizações em tempo real em seu dispositivo!