Cientistas políticos criticam açodamento e atropelos na discussão da reforma política

A Associação Brasileira de Cientistas Políticos (ABCP) se manifestou nesta quarta-feira (11) pela manutenção das atuais regras eleitorais, diante das “incertezas” e “inseguranças” das propostas em discussão na Câmara. O presidente da Câmara, Arthur Lira (PP-AL), pretende votar nesta quinta-feira (12) a PEC que institui o modelo distrital de representação, o chamado “distritão”.

O conteúdo deste texto foi publicado antes no Congresso em Foco Insider, serviço exclusivo de informações sobre política e economia do Congresso em Foco. Para assinar, entre em contato com [email protected]

“Há, certamente, problemas na representação política no Brasil, mas uma proposta de reforma que tramita de forma açodada, sem cuidadoso debate público, certamente não contribuirá para o aprimoramento da democracia brasileira”, afirma a organização.

Na avaliação dos cientistas políticos, o modelo proporcional em vigor tem significativas vantagens em relação ao “distritão”, pois avança na correção de parte importante dos problemas do sistema eleitoral. “Mudanças institucionais repentinas, sem o adequado debate, atropelam o processo democrático e não produzem bons resultados”, diz trecho da nota.

Veja a íntegra da nota:

Se você chegou até aqui, uma pergunta: qual o único veículo brasileiro voltado exclusivamente para cobertura do Parlamento? Isso mesmo, é o Congresso em Foco. Estamos há 17 anos em Brasília de olho no centro do poder. Nosso jornalismo é único, comprometido e independente. Porque o Congresso em Foco é sempre o primeiro a saber. Precisamos muito do seu apoio para continuarmos firmes nessa missão, entregando a você e a todos um jornalismo de qualidade, comprometido com a sociedade e gratuito.
Mantenha o Congresso em Foco na frente.
JUNTE-SE A NÓS

Continuar lendo