Candidatos buscam reverter votos na reta final da campanha

Na última semana antes da eleição para presidente da Câmara e do Senado, os candidatos devem intensificar sua agenda em busca de votos. O cenário ainda está indefinido nas duas Casas. Entre os deputados, o favoritismo está com Arthur Lira (PP-AL), que tem o maior bloco em torno de seu nome e conta com dissidências em vários partidos, além do apoio do Palácio do Planalto.

>Reformas e vacinação: veja carta com compromissos de Tebet a senadores

Mas o seu principal adversário, Baleia Rossi (MDB-SP), procura reverter o quadro, acenando à oposição de que não engavetará os pedidos de impeachment contra o presidente Jair Bolsonaro. Baleia é o entrevistado do programa Roda Viva, da TV Cultura, nesta segunda-feira, às 21h30. Lira não aceitou o convite para participar do debate, alegando conflito de agenda.

Também concorre à presidência da Câmara por indicação de seu partido a deputada Luiza Erundina (Psol). De maneira avulsa, ou seja, sem a formalização de seus respectivos partidos, disputam: Alexandre Frota (PSDB-SP), Fábio Ramalho (MDB-MG), André Janones (Avante-MG), General Peternelli (PSL-SP) e Capitão Augusto (PL-SP).

No Senado, Rodrigo Pacheco (DEM-MG) lidera as projeções de voto, com base nas declarações feitas por senadores até o momento. A principal concorrente dele, Simone Tebet (MDB-MS), ainda confia em sua capacidade de diálogo para "virar" votos na reta final. Nesse domingo à noite, divulgou para os colegas uma carta em que reforça os motivos de sua candidatura, entre os quais, a defesa da independência da Casa.

Também começam a semana na condição de candidatos também Major Olímpio (PSL-SP) e Jorge Kajuru (Cidadania-GO). Kajuru adiantou ao Congresso em Foco que se candidatará apenas para ter direito a discurso, no qual pretende fazer críticas a Davi Alcolumbre (DEM-AP), mas que votará em Simone Tebet.

>Impeachment de Bolsonaro é inviável no momento, diz Simone Tebet

Continuar lendo