PSDB avalia indicar Aécio para comandar a Comissão de Relações Exteriores

A bancada do PSDB na Câmara estuda indicar o ex-presidenciável Aécio Neves (PSDB-MG) para o comando da Comissão de Relações Exteriores. Se for confirmada a indicação, será a primeira vez que o mineiro assumirá um posto de destaque desde maio de 2017, quando foi pego no escândalo da JBS.

A informação foi revelada pelo jornal Estado de S. Paulo e confirmada pelo Congresso em Foco com duas pessoas ligadas ao partido. O ex-presidente Fernando Henrique Cardoso, o senador José Serra e o ex-ministro das Relações Exteriores Aloysio Nunes se mobilizam para que a legenda lute pela presidência da comissão.

O conteúdo deste texto foi publicado antes no Congresso em Foco Premium, serviço exclusivo de informações sobre política e economia do Congresso em Foco. Para assinar, entre em contato com [email protected].

"Quando soube que poderia caber ao PSDB a presidência da comissão liguei ao líder para sugerir que ele não deixasse passar a oportunidade dada a evidente relevância do tema. Não tenho condições de avaliar se o deputado Aécio está bem cotado, só o deputado Rodrigo de Castro poderia responder. Não falei com Serra nem com FH a esse respeito", afirmou Aloysio Nunes ao Congresso em Foco.

A reportagem tentou contato, por meio mensagens e ligações, com o líder do PSDB na Câmara, Rodrigo de Castro (MG), mas não obteve retorno.

O então senador de Minas Gerais perdeu por uma margem apertada as eleições presidenciais de 2014 para Dilma Rousseff (PT). Em 2017, ele foi afastado da presidência da legenda e saiu da condição de principal nome do partido para disputar as eleições presidenciais de 2018 para concorrer a uma vaga de deputado.

A Comissão de Relações Exteriores também é almejada pelo PT e pelo PSL, as duas maiores bancadas da Câmara. O PSL comandou o colegiado em 2019, com Eduardo Bolsonaro (PSL-SP), e tenta manter o controle em 2021.

>Ex-chanceleres defendem que Bolsonaro mude política externa por Biden

Continuar lendo