Kalil diz que BH não vai seguir decisão de Kassio que permite cultos e missas

O prefeito de Belo Horizonte, Alexandre Kalil (PSD), usou o Twitter para dizer que Belo Horizonte (MG) não vai seguir a decisão do ministro Kassio Nunes Marques, do Supremo Tribunal Federal (STF), que permite a realização de missas e cultos religiosos em todo o país. Segundo o prefeito, a cidade respeita o plenário do STF, não uma decisão monocrática. "Estão proibidos os cultos e missas presenciais", escreveu.

Neste sábado (3), véspera de Páscoa, o ministro determinou que"os Estados, Distrito Federal e Municípios se abstenham de editar ou de exigir o cumprimento de decretos ou atos administrativos locais que proíbam completamente a realização de celebrações religiosas presenciais, por motivos ligados à prevenção da Covid19"

Continuar lendo