“Com dor no coração”: Kalil recua e diz que ordem judicial se cumpre

O prefeito de Belo Horizonte voltou atrás na decisão de não cumprir a ordem do ministro Kassio Nunes Marques de permitir o funcionamento de igrejas e templos religiosos em todo o Brasil. No sábado (3), Alexandre Kalil havia dito que BH não respeitaria a decisão monocrática de Kassio, mas sim a decisão do plenário do STF que dá às prefeituras direito de estabelecer medidas de contenção da pandemia de covid-19.

Neste domingo (4), Nunes Marques intimou Kalil a cumprir em até 24h a decisão liminar de permitir que os rituais religiosos aconteçam presencialmente. Com a intimação, o prefeito recuou e decidiu manter as igrejas abertas. Nas redes sociais, a hashtag #KalilArregão começou a ser utilizada por seus opositores - principalmente bolsonaristas. Sua escolha de não cumprir a decisão do STF,  gerou manifestações nas redes sociais. Vários parlamentares se posicionaram contra o prefeito. 

O ex-ministro da Educação, Abraham Weintraub, postou uma cópia da intimação recebida por Kalil e ressaltou: "A Páscoa é um período para o renascimento, principalmente das esperanças. Haverá Missa PRESENCIAL de Páscoa". 

Confira mais manifestações contra Kalil: 

 

Então quer dizer que, mesmo após a decisão do Ministro Nunes Marques, o Prefeito de BH, lambe bolas de chinês, está...

Publicado por Carlos Jordy em Domingo, 4 de abril de 2021

Continuar lendo