Xuxa defende impeachment de Bolsonaro: “Babacas o chamam de mito”

A apresentadora Xuxa engrossou o coro dos artistas que defendem o impeachment do presidente Jair Bolsonaro. Xuxa comentou o vídeo publicado pelo ator Fábio Porchat em que ele pergunta com quantas mortes se faz um impeachment. Ela disse que, embora nunca tenha gostado do PT, é tachada de comunista e petista por criticar Bolsonaro. Também por discordar do presidente, ressalta, é chamada pelos "babacas" que o chamam de "mito" de pedófila.

Veja a mensagem da apresentadora:

Xuxa é autora de um dos mais de 40 mil comentários ao vídeo de Porchat em menos de dois dias

Com quase 7 milhões de visualizações no Instagram, o vídeo de Porchat gerou até o momento de publicação deste texto mais de 40 mil comentários. Em sua maioria, apoiando a cassação do mandato do presidente. Vários artistas se manifestaram em favor das declarações de Porchat, como os atores Antonio Calloni, Drica Moraes, Dira Paes, Virginia Cavendish, Marcos Veras, Rafael Zulu e o cantor Diogo Nogueira.

No vídeo, Porchat contesta quem acha exagero chamar Bolsonaro de genocida e cita as posições que o presidente assumiu em relação à pandemia, desde minimizar a doença, recomendar remédio sem qualquer eficácia e fazer campanha contra a vacinação, para justificar sua posição. "A gente está tão acostumado a ouvir ele falar merda, ele só fala merda, que vai descredibilizando um pouco na nossa cabeça e meio que tirando o peso que são as maluquices, a violência, a agressividade dele", diz o ator.

Porchat questiona como a sociedade teria reagido se os ex-presidentes Fernando Henrique Cardoso e Lula tivessem feito chacota com a Aids ou a dengue durante seus governos.

Veja o vídeo de Porchat:

Na última quarta-feira Bolsonaro foi chamado de mito por apoiadores, em uma churrascaria em Brasília ao atacar jornalistas. "Vai pra puta que pariu, porra. Essa imprensa de merda, é pra enfiar no rabo de vocês, de vocês da imprensa, essas latas de leite condensado aí", gritou, ao reagir ao noticiário sobre os gastos do governo com o produto. Desde que assumiu o governo, Bolsonaro é alvo de mais de 60 pedidos de impeachment na Câmara. Nenhum deles saiu da gaveta do presidente da Casa, Rodrigo Maia (DEM-RJ), cujo mandato se encerra nesta segunda-feira.

Artistas e movimentos sociais se mobilizam nas redes contra eleição de Lira 

Centrão age como traficante e agiota e pode derrubar Bolsonaro, diz Frota

Continuar lendo

Assine e obtenha atualizações em tempo real em seu dispositivo!