Sem reforma administrativa, situação ficará “insustentável”, diz Economia

O Ministério da Economia preparou, nesta semana, uma apresentação aos parlamentares em defesa da reforma administrativa proposta na PEC 32. Segundo a apresentação, à qual o Congresso em Foco Insider (serviço deste site voltado para assinante) teve acesso, o governo considera que, sem as mudanças, o cenário econômico para o governo torna-se “insustentável”.

De acordo com a apresentação, hoje 93,7% do Orçamento federal está comprometido com despesas obrigatórias. Sobram 6,3% (cerca de R$ 92 bilhões) para outras despesas, como os investimentos. Aponta o ministério que o país já está em seu sétimo ano seguido de déficit fiscal, e que a projeção, caso nada seja alterado, é de pelo menos mais seis anos nessa situação.

De 2008 para cá, segundo a apresentação, as despesas com pessoal aumentaram 145%, passando de R$ 44,8 bilhões para R$ 109,8 bilhões.

O resultado disso, diz o Ministério da Economia, é que a reserva de recursos para novos investimentos tende a cair a zero. O que significa menos hospitais públicos, menos escolas, menos casas populares. E a situação acaba comprometendo a própria capacidade do governo de pagar as suas folhas de salário.

Veja a apresentação feita pelo Ministério da Economia

O conteúdo deste texto foi publicado antes no Congresso em Foco Insider, serviço exclusivo de informações sobre política e economia do Congresso em Foco. Para assinar, entre em contato com [email protected].

Se você chegou até aqui, uma pergunta: qual o único veículo brasileiro voltado exclusivamente para cobertura do Parlamento? Isso mesmo, é o Congresso em Foco. Estamos há 17 anos em Brasília de olho no centro do poder. Nosso jornalismo é único, comprometido e independente. Porque o Congresso em Foco é sempre o primeiro a saber. Precisamos muito do seu apoio para continuarmos firmes nessa missão, entregando a você e a todos um jornalismo de qualidade, comprometido com a sociedade e gratuito.
Mantenha o Congresso em Foco na frente.
JUNTE-SE A NÓS

Continuar lendo