Mário Frias foge da responsabilidade sobre fogo na Cinemateca e culpa o PT

O secretário especial de Cultura do governo Jair Bolsonaro, Mário Frias, apontou o PT, partido que deixou o governo há cinco anos, como o responsável pelo incêndio que atingiu um prédio da Cinemateca nesta quinta-feira (29), em São Paulo. A Cinemateca está sob o guarda-chuva da secretaria da Cultura.

O incêndio, que destruiu parte do arquivo sobre responsabilidade do governo federal, seria causado, na visão do ator, por um "heranças malditas do governo apocalíptico do petismo".

Mário Frias, no entanto, não está no Brasil para acompanhar o trabalho de recuperação do acervo da Cinemateca, pois viajou à Itália, participar da reunião dos Ministros da Cultura do G20. Como ele está acompanhado de André Porciúncula, seu secretário, não se sabe ao certo quem ficou no comando da pasta enquanto se apuram as causas do incêndio.

A conduta das autoridades federais diante do incêndio tem sido duramente criticada por autoridades estaduais e mesmo artistas. "O incêndio na Cinemateca de São Paulo é um crime com a cultura do país. Desprezo pela arte e pela memória do Brasil dá nisso: a morte gradual da cultura nacional", escreveu o governador de São Paulo, João Doria (PSDB).


> Maioria dos brasileiros quer se vacinar, mas muitos têm um imunizante de preferência
> Guedes minimiza projeção de queda na arrecadação com tributária: “Já está pago”

Se você chegou até aqui, uma pergunta: qual o único veículo brasileiro voltado exclusivamente para cobertura do Parlamento? Isso mesmo, é o Congresso em Foco. Estamos há 17 anos em Brasília de olho no centro do poder. Nosso jornalismo é único, comprometido e independente. Porque o Congresso em Foco é sempre o primeiro a saber. Precisamos muito do seu apoio para continuarmos firmes nessa missão, entregando a você e a todos um jornalismo de qualidade, comprometido com a sociedade e gratuito.
Mantenha o Congresso em Foco na frente.
JUNTE-SE A NÓS
Continuar lendo