Governo prevê economizar R$ 33,5 bi em 2022 com parcelamento de precatórios

O Ministério da Economia detalhou nesta terça-feira (10) a proposta de emenda à Constituição enviada ao Congresso e que altera regras relacionadas ao parcelamento dos precatórios. Segundo a equipe econômica, o crescimento dos gastos com sentenças judiciais foi muito acima do esperado desde 2019, tornando a despesa incompatível com a regra do teto de gastos e inviabilizando o espaço orçamentário.

O conteúdo deste texto foi publicado antes no Congresso em Foco Insider, serviço exclusivo de informações sobre política e economia do Congresso em Foco. Para assinar, entre em contato com [email protected].

A PEC muda a regra geral de parcelamento, prevendo que a União não precisa pagar à vista valores a partir de R$ 66 milhões e estabelecendo quais valores poderão ser quitados de forma parcelada até 2029. Se o Congresso aprovar o texto como enviado pelo governo, a pasta calcula economizar no ano que vem R$ 33,5 bilhões no ano que vem com o parcelamento.

Leia a íntegra da PEC 23/2021

A proposta foi enviada pelo governo junto com a medida provisória que cria o novo programa social Auxílio Brasil. Porém, a PEC não especifica que o espaço fiscal criado será usado para bancar o novo benefício. Parlamentares e organizações como a OAB têm criticado a medida, à qual chamam de calote e consideram se tratar de uma pedalada fiscal.

Pelo texto, também será criado um fundo dedicado a quitar passivos da União como os precatórios. O fundo, prevê o governo, será abastecido com recursos de alienações de imóveis, excedentes de partilhas de petróleo, arrecadação fruto da redução de benefícios tributários, entre outras fontes.

>>Exclusivo: voto eletrônico é seguro e auditável, conclui TCU

>>Tanques e blindados desfilam na Esplanada para entregar convite a Bolsonaro

Se você chegou até aqui, uma pergunta: qual o único veículo brasileiro voltado exclusivamente para cobertura do Parlamento? Isso mesmo, é o Congresso em Foco. Estamos há 17 anos em Brasília de olho no centro do poder. Nosso jornalismo é único, comprometido e independente. Porque o Congresso em Foco é sempre o primeiro a saber. Precisamos muito do seu apoio para continuarmos firmes nessa missão, entregando a você e a todos um jornalismo de qualidade, comprometido com a sociedade e gratuito.
Mantenha o Congresso em Foco na frente.
JUNTE-SE A NÓS

Continuar lendo