Filiado ao PTB, acionista do Grupo Jacto diz ter financiado caravana

Um dos acionistas do Grupo Jacto, Takashi Nishimura, assumiu ter financiado a viagem de manifestantes, de Marília e Pompeia, no interior de São Paulo, para os atos de Sete de Setembro na Avenida Paulista. O  acionista da empresa disse que a decisão teria sido de cunho pessoal.

"O Grupo Jacto esclarece que essa foi uma ação promovida pelo Sr. Takashi Nishimura, pessoa física, com recursos próprios enquanto cidadão. O Sr. Takashi Nishimura é acionista do Grupo Jacto, sem nenhuma participação e influência na administração das empresas do grupo", declarou a empresa em nota ao Congresso em Foco. "A empresa reforça mais uma vez que tem em seu código de conduta não apoiar candidatos ou partidos políticos de nenhuma corrente doutrinária, seja na esfera federal, estadual ou municipal."

O Grupo Jacto foi acusado de financiar ônibus para manifestantes bolsonaristas participarem dos atos antidemocráticos do dia Sete de Setembro.

Apesar do Grupo Jacto fazer questão de se posicionar de forma apartidária, o mesmo não pode ser dito sobre o acionista. Takashi Nishimura é filiado ao Partido Trabalhista Brasileiro (PTB), presidido pelo apoiador de Jair Bolsonaro, Roberto Jefferson, desde março de 2020.

“Resolvi me filiar ao partido também como forma de tentar somar, fortalecer algo que vejo que está bom, que é bem feito, que é este governo”, comentou Takashi à época.

Empresa de turismo muda versão

No dia sete de setembro, o Congresso em Foco entrou em contato com a empresa Santo Antônio Turismo, empresa contratada para fazer o transporte dos manifestantes. Um homem que se identificou como gerente, Dionísio, confirmou que houve a contratação de seis ônibus da frota para atender o transporte de cerca de 250 pessoas . Dionísio também afirmou que a Jacto foi a contratante do serviço.

Em contato com a empresa de turismo nesta quinta (9) o discurso parece ter mudado ao sabor da declaração de Takashi Nishimura. A atendente desqualificou a competência de Dionísio para prestar informações sobre a locação dos veículos.

"Ele não tem a informação correta, ele não trabalha no fretamento, quem trabalha no fretamento sou eu. Ele é gerente de frota", informou a funcionária que identificou-se apenas como Aline.

Entretanto, Dionísio pode ser bem mais do que simples gerente de frota da empresa. Em consulta ao Cadastro Nacional da Pessoa Jurídica, no site da Receita Federal, a empresa Santo Antônio Turismo aparece como sendo de propriedade de Dionísio Roldam.

"Esse é o nosso grupo Jacto de Pompéia"

Em um vídeo recebido pelo Congresso em Foco, e que circulou em redes sociais, pessoas que teriam sido pagas para estar na manifestação em prol do presidente Bolsonaro. Eles comemorar ao receber o pagamento de R$ 100 em dinheiro vivo, pelos organizadores da caravana. "Olha isso, cara, eu achei que era brincadeira meu. Uma camiseta pra cada um, mais o ônibus, mais cem reais para cada um", diz uma voz. "Nishimura vem aí. Grupo Jacto vem aí. Esse é o nosso grupo Jacto, de Pompéia. Grupo Jacto, que Deus o abençoe."

Reveja o vídeo:

“Todas as pessoas de bem sabem quem é o farsante”, diz Barroso no TSE

Bolsonaro negocia com caminhoneiros fim da paralisação

Se você chegou até aqui, uma pergunta: qual o único veículo brasileiro voltado exclusivamente para cobertura do Parlamento? Isso mesmo, é o Congresso em Foco. Estamos há 17 anos em Brasília de olho no centro do poder. Nosso jornalismo é único, comprometido e independente. Porque o Congresso em Foco é sempre o primeiro a saber. Precisamos muito do seu apoio para continuarmos firmes nessa missão, entregando a você e a todos um jornalismo de qualidade, comprometido com a sociedade e gratuito.
Mantenha o Congresso em Foco na frente.
JUNTE-SE A NÓS

Continuar lendo