A investidores, Guedes diz que economia vai crescer além do esperado

O ministro Paulo Guedes afirmou hoje que a economia brasileira tem dado "indicações" de que crescerá bem acima dos 3,5% previstos para 2021. A avaliação foi feita no Fórum de Investimentos Brasil 2021, evento internacional organizado por Apex, Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID) e governo federal.

"A economia brasileira está dando indicações de que pode crescer bem acima das nossas previsões, em torno de 3%, ou 4%, neste ano. Os agentes privados já estão revendo para acima de 4% a taxa de crescimento, em todas as regiões e em todas as cidades do país", afirmou. Guedes também citou que "há quem esteja prevendo um crescimento de 5% [do PIB brasileiro] em 2021".

O conteúdo deste texto foi publicado antes no Congresso em Foco Insider, serviço exclusivo de informações sobre política e economia do Congresso em Foco. Para assinar, entre em contato com [email protected].

Em sua fala aos investidores, o ministro também reconheceu a questão do meio ambiente como um "tema decisivo" para o crescimento econômico e disse que a Amazônia se tornará um "centro de provisão de serviços para a economia do meio ambiente". Porém, reforçou a necessidade de obter "ajuda" e "investimentos de fora" para que o país consiga construir um "futuro verde".

"Sabemos que biofármacos, a economia digital, o turismo, a economia verde, tudo isso vai girar em torno da região Amazônica. E nós queremos ajuda e investimentos de fora para construirmos juntos esse futuro digital e verde."

Mais cedo, em discurso de abertura do evento, o presidente Jair Bolsonaro também falou sobre a meta do governo federal de ampliar os  investimentos estrangeiros no Brasil. Na ocasião, ele voltou a citar um suposto "paradoxo amazônico" e disse que é necessária uma "adequada remuneração" para o desenvolvimento econômico da região Amazônica. Leia a íntegra do discurso do presidente.

> Hackers invadem reunião de Guedes e exibem vídeo pornô

> Congresso vota crédito extra de R$ 20 bi para programas sociais e vetos

> Comércio “não aguentaria” reforma proposta por Aguinaldo Ribeiro, diz Guedes

Continuar lendo