Comissão da Câmara aprova parecer ao “voto distrital”

A Comissão da Câmara dos Deputados que analisou a Proposta de Emenda à Constituição (PEC) 125/11, aprovou nesta segunda-feira (9) o parecer da relatora, Renata Abreu (Podemos-SP) que institui o chamado "voto distrital" no sistema eleitoral brasileiro. Foram 22 votos favoráveis e 11 contrários. O texto agora irá ao Plenário.

A PEC- que originalmente tratava de eleições próximas a feriado, virou uma das mais complexas tentativas de reforma eleitoral no país. O único destaque que foi acolhido retirou do texto a possibilidade do sistema conhecido como "distritão misto" a partir das eleições de 2026.

A relatora apresentou novo parecer aos deputados hoje, com a adoção do chamado "voto preferencial", usado nas eleições da Irlanda e do estado de Nova York. Nele, o eleitor vota em cinco candidatos por ordem de preferência. A cada totalização de votos, o candidato com menos votos é eliminado, e os votos dados a ele são encaminhados a outros candidatos, de acordo com a ordem de preferência dos eleitores.

Renata disse que a proposta entra em operação apenas nas eleições municipais de 2024. "Nós trouxemos o que tem de maior inovação na política do mundo, mas tomamos o cuidado de não aplicar nas próximas eleições justamente para não acharem que é um casuísmo", disse, durante a reunião.

A relatora chegou a retirar da Constituição, em seu parecer, a retirada do caráter nacional dos partidos. "Entendemos que os partidos regionais têm um papel importante a desempenhar na democracia brasileira", escreveu a relatora.

Parlamentares de oposição criticaram não apenas a proposta da deputada, como também a pressa em se votar o texto. Para o deputado Henrique Fontana (PT-RS), a proposta de distritão e de voto preferencial presente no parecer da PEC tornaria o voto "uma anarquia onde o eleitor não saberá quem elegeu". O resultado, segundo o parlamentar gaúcho, seria a fragmentação extrema do parlamento: "O que nós estamos votando aqui é um país que vai ter 513 partidos, pois cada deputado será um partido aqui na Câmara", lamentou.


> Bolsonaro gastou R$711 mil para inaugurar ponte de R$255 mil
> Ao vivo: seminário discute o papel das instituições jurídicas na defesa da democracia

Se você chegou até aqui, uma pergunta: qual o único veículo brasileiro voltado exclusivamente para cobertura do Parlamento? Isso mesmo, é o Congresso em Foco. Estamos há 17 anos em Brasília de olho no centro do poder. Nosso jornalismo é único, comprometido e independente. Porque o Congresso em Foco é sempre o primeiro a saber. Precisamos muito do seu apoio para continuarmos firmes nessa missão, entregando a você e a todos um jornalismo de qualidade, comprometido com a sociedade e gratuito.
Mantenha o Congresso em Foco na frente.
JUNTE-SE A NÓS
Continuar lendo