TSE irá investigar financiamento dos atos de Sete de Setembro

O ministro do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), Luís Felipe Salomão, anunciou que a corte investigará se os atos antidemocráticos de Sete de Setembro contaram com financiamento por parte de empresários e políticos.

Salomão, que é corregedor-geral da Justiça Eleitoral, juntou ao processo que apura fake news sobre as eleições provas de vídeo e notícias veiculadas pela imprensa para investigação. Caso os indícios indiquem que realmente houve crime, o presidente Jair Bolsonaro - o maior beneficiário das manifestações - poderá ser investigado por abuso de poder econômico e político, além de propaganda antecipada.

Um dos vídeos mostra o pagamento de R$ 100 para que pessoas da cidade de Pompeia (SP) fossem a uma das manifestações de apoio ao presidente da República. Na semana passada, o Congresso em Foco confirmou que o valor foi pago por um acionista do Grupo Jacto, empresa de maquinário agrícola afinada ideologicamente com Jair Bolsonaro.

Há ainda o fato de que caminhoneiros vieram à Brasília engrossar a manifestação de Bolsonaro, assim como pressionar o Supremo Tribunal Federal (STF). Estes veículos pertencem a empresas do agronegócio mais próximas do presidente da República.


> CPI da Covid vai denunciar Bolsonaro ao Tribunal Penal Internacional
> Oposição e centro criam comitê pró-impeachment e unificam atos contra Bolsonaro

Se você chegou até aqui, uma pergunta: qual o único veículo brasileiro voltado exclusivamente para cobertura do Parlamento? Isso mesmo, é o Congresso em Foco. Estamos há 17 anos em Brasília de olho no centro do poder. Nosso jornalismo é único, comprometido e independente. Porque o Congresso em Foco é sempre o primeiro a saber. Precisamos muito do seu apoio para continuarmos firmes nessa missão, entregando a você e a todos um jornalismo de qualidade, comprometido com a sociedade e gratuito.
Mantenha o Congresso em Foco na frente.
JUNTE-SE A NÓS

Continuar lendo