Maioria dos brasileiros quer se vacinar, mas muitos têm um imunizante de preferência

A despeito declarações antivacinas, inclusive por parte do presidente da República Jair Bolsonaro, 90% dos brasileiros quer se imunizar contra a covid-19, conforme pesquisa divulgada nesta sexta (30) pela Confederação Nacional da Indústria (CNI). Apesar disso, a tendência a escolher imunizantes se evidencia ao indicar que 43% gostaria de poder escolher a marca do imunizante. Apesar disso, do total de entrevistados, apenas 9% deixaria de se imunizar caso não tivesse a vacina desejada disponível.

A pesquisa entrevistou 2.000 pessoas nos 26 estados e no Distrito Federal, entre 12 e 16 de julho de 2021. A margem de erro é de dois pontos percentuais, com intervalo de confiança de 95%.

“Sabemos que a vacinação em massa é fundamental para a retomada econômica. E, quando falo em retomada, falo principalmente em mais empregos, mais renda e mais qualidade de vida para a população. A imunização é o único caminho para proteger a saúde e afastar o risco do coronavírus, que são fatores essenciais para reativar os setores econômicos, as molas do crescimento do Brasil”, disse o presidente da CNI, Robson Braga de Andrade.

A pesquisa também mostrou a relação entre vacina e aquecimento da atividade econômica. Um dos indicativos é de que o medo em relação à pandemia vem diminuindo. Nesta rodada da pesquisa, 47% dos brasileiros disseram ter medo grande ou muito grande do coronavírus. No fim de abril, este percentual era de 56%.

Outro ponto abordado é a confiança da população em voltar a frequentar estabelecimentos comerciais. Há três meses, 39% tinham muito medo de frequentar shoppings. Agora, este percentual recuou para 24%. Também caiu o medo em relação a frequentar o comércio de rua de 36% para 28% e o receio de ir em bares e restaurantes recuou de 45% para 34% no grupo de pessoas que tinham muito medo.

Ainda assim, 72% dos brasileiros consideram grave a situação do coronavírus no Brasil. Entre abril e julho o percentual de brasileiros que consideram grave a situação da pandemia de Covid-19 no Brasil caiu de 89% para 72%. Há um ano, em julho de 2020, esse percentual era de 84%.

Em relação ao ritmo de vacinação, para 62% dos brasileiros a vacinação ainda está “um pouco lento ou muito lento”. Embora alto, esse percentual teve queda significativa, de 21 pontos percentuais, em relação às respostas de abril de 2021, na 3ª edição da pesquisa.

> Campanha mal feita é porta para grupos antivacina, diz Natália Pasternak

> Governo adota discurso antivacina e diz que imunização não é obrigatória

 

Se você chegou até aqui, uma pergunta: qual o único veículo brasileiro voltado exclusivamente para cobertura do Parlamento? Isso mesmo, é o Congresso em Foco. Estamos há 17 anos em Brasília de olho no centro do poder. Nosso jornalismo é único, comprometido e independente. Porque o Congresso em Foco é sempre o primeiro a saber. Precisamos muito do seu apoio para continuarmos firmes nessa missão, entregando a você e a todos um jornalismo de qualidade, comprometido com a sociedade e gratuito.
Mantenha o Congresso em Foco na frente.
JUNTE-SE A NÓS

Continuar lendo