Comentário: nova nota da Febraban explicita o grau de insatisfação do mundo empresarial e financeiro

Como comentamos desde o início da semana no Insider, o canal exclusivo para assinantes, o episódio do adiamento da nota do mundo empresarial e financeira que vinha sendo capitaneada pela Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp) acabou explicitando mais o grau de insatisfação dos segmentos com o governo Jair Bolsonaro e a situação de crise institucional crônica que ele provoca do que se a nota tivesse sido publicada.

Primeiro, porque, ainda que adiada por iniciativa solitária do presidente da Fiesp, Paulo Skaf, o conteúdo da nota acabou se tornando público. E acabou se tornando público porque a nota foi vazada por signatários que não aceitaram o recuo de Skaf, a pedido do presidente da Câmara, Arthur Lira (PP-AL). E finalmente porque tornou-se conhecido, graças ao ministro da Economia, Paulo Guedes, que as maiores insatisfações vieram do mundo financeiro, da Federação Brasileira dos Bancos (Febraban) que, segundo o ministro, queria fazer uma nota ainda mais dura.

O conteúdo deste texto foi publicado antes no Congresso em Foco Insider, serviço exclusivo de informações sobre política e economia do Congresso em Foco. Para assinar, entre em contato com [email protected]

A nova nota divulgada na noite de quinta-feira pela Febraban acaba por confirmar tudo isso. Para não deixar dúvidas, a federação reafirma seu apoio ao texto do manifesto “A Praça é dos Três Poderes”, a nota conjunta que Skaf adiou mas que acabou se tornando conhecida. E aponta ainda para a contrariedade dos banqueiros com a atitude solitária de Skaf quanto ao adiamento.

Leia a íntegra da nota divulgada pela Febraban nesta quinta:

"A Federação Brasileira de Bancos (FEBRABAN) reafirma o apoio emprestado ao manifesto "A Praça é dos Três Poderes", cuja adesão se deu, desde o início, dentro de um contexto plurifederativo de entidades representativas do setor produtivo e cuja única finalidade é defender a harmonia do ambiente institucional no país.

A Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (FIESP) assumiu a coordenação do processo de coleta de assinaturas e se responsabilizou pela publicação, conforme e-mail dirigido a mais de 200 entidades no último dia 27 de agosto.

A FEBRABAN considera que o conteúdo do manifesto, aprovado por sua governança própria, foi amplamente divulgado pela mídia do país, cumprindo sua finalidade. A Federação manifesta respeito pela opção do Banco do Brasil e da Caixa Econômica Federal, que se posicionaram contrariamente à assinatura do manifesto.

> Paulo Guedes comenta manifesto da Febraban e diz que texto ataca governo

> Febraban matém apoio a manifesto e diz que respeita posição de bancos públicos

Se você chegou até aqui, uma pergunta: qual o único veículo brasileiro voltado exclusivamente para cobertura do Parlamento? Isso mesmo, é o Congresso em Foco. Estamos há 17 anos em Brasília de olho no centro do poder. Nosso jornalismo é único, comprometido e independente. Porque o Congresso em Foco é sempre o primeiro a saber. Precisamos muito do seu apoio para continuarmos firmes nessa missão, entregando a você e a todos um jornalismo de qualidade, comprometido com a sociedade e gratuito.
Mantenha o Congresso em Foco na frente.
JUNTE-SE A NÓS

Continuar lendo