Após corte no orçamento, presidente do IBGE pede exoneração do cargo

O Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) comunicou nesta sexta-feira (26) que a presidente do órgão, Susana Cordeiro Guerra, pediu exoneração do cargo. Segundo nota divulgada pelo instituto, a saída é motivada por questões pessoais e de família. "Ela continuará no cargo até a transição para o novo presidente a ser indicado", informou.

O anúncio se dá um dia após o Congresso Nacional aprovar o orçamento de 2021 com redução de quase 90% das verbas destinadas ao IBGE. Segundo o instituto, o corte pode inviabilizar a realização do censo, feito a cada dez anos.

Também nesta sexta, o órgão divulgou nota comentando que avalia como manterá as atividades diante da drástica redução orçamentária. Leia:

"A Comissão Mista de Orçamento (CMO) e o Congresso Nacional concluíram ontem (25/03) a votação do Orçamento para o exercício de 2021.

A referida votação ratificou o corte no orçamento do Censo Demográfico proposto pelo Relator-Geral da Comissão. A decisão representa uma redução de quase 90% do orçamento previsto na PLOA encaminhada em agosto de 2020, que era de R$ 2 bilhões.

Diante deste cenário, o IBGE solicitará orientações ao Ministério da Economia sobre os procedimentos no tocante à operação censitária que, de acordo com a lei 8.184/1991, deve ser realizada a cada dez anos."

> Argentina suspende voos do Brasil por tempo indeterminado

> Bancada do Psol pede afastamento imediato de assessor de Bolsonaro

Continuar lendo